FIV com Doação de Esperma

SOBRE A DOAÇÃO DE ESPERMA

Ampliar as possibilidades

A FIV com doação de esperma consiste num tratamento de fertilidade especializado, no qual, em laboratório, o esperma de um dador é utilizado para fertilizar óvulos da paciente ou de uma dadora de óvulos. Esta abordagem é frequentemente escolhida por mulheres solteiras, casais de mulheres ou casais heterossexuais que enfrentam problemas de infertilidade masculina, tais como ausência de espermatozóides, alterações muito graves no espermograma ou problemas genéticos que podem ser transmitidos à descendência

O que pode esperar da Procriar

A seleção do dador

A equipa responsável pelo Programa de Doação da Procriar ajudá-la-á a encontrar o dador ideal para o seu tratamento. 

Trabalhamos quer com dadores provenientes do nosso próprio banco de esperma, quer com dadores provenientes de bancos de esperma internacionais. 

Todos os dadores realizam testes de rastreio exaustivos, que incluem avaliação psicológica e aconselhamento. Os nossos perfis detalhados incluem informações sobre características físicas, personalidade, preferências e experiências de vida, para possa tomar uma decisão informada.

Tratamentos Personalizados

Os planos de tratamento para FIV com doação de esperma são adaptados e personalizados a cada caso. 

Seleção Embrionária

Utilizamos métodos sofisticados, que nos permitem fazer uma seleção de embriões informada e baseada em informação objetiva.

O que pode esperar do seu tratamento

Fases do Tratamento

Planear o tratamento

O processo começa com uma consulta médica (a primeira consulta de fertilidade), que, entre outros aspetos, serve para que um dos nossos médicos especialistas analise rigorosamente o seu caso e discuta consigo as potenciais opções de tratamento, esclarecendo também todas as dúvidas que possa ter no processo.

Poderá ser necessário realizar testes adicionais, como análises clínicas, ecografia pélvica ou endovaginal, entre outros, para podermos compreender melhor a sua situação clínica e adaptar eficazmente o seu tratamento.

Depois de analisados e interpretados os resultados destes testes, voltará a ter consulta com o seu médico para definir o tipo de tratamento necessário, bem como o plano de tratamento individualizado. De seguida, o gestor de pacientes responsável pelo seu caso irá fornecer-lhe informação detalhada sobre os custos envolvidos, para que os possa analisar e, caso assim o deseje, aprovar.

Seleção do Dador

A equipa coordenadora do Programa de Doação da Procriar irá ajudá-la a selecionar o dador de esperma ideal. Este poderá ser proveniente do nosso banco de esperma ou de um dos bancos internacionais (apenas na União Europeia) com os quais temos acordos de colaboração. Recomendamos a reserva de um número de palhetas de esperma do dador selecionado que seja suficiente para assegurar o tratamento atual e também potenciais opções futuras, como por exemplo um eventual tratamento para um segundo filho.

Todos os nossos dadores de esperma são submetidos a testes genéticos prévios. Recomendamos, no entanto, a todos os doentes a realização de testes de compatibilidade genética, que permitem excluir conjuntos alargados de 570 ou 2200 doenças genéticas de transmissão autossómica recessiva.

Estimulação Ovárica

A primeira parte do tratamento de FIV com doação de esperma consiste na estimulação ovárica, que é uma etapa crucial e que tem por objetivo fazer com que os ovários produzam vários óvulos em vez do óvulo único que é normalmente libertado durante um ciclo menstrual natural. Este passo implica a toma de medicamentos que contêm hormonas como a FSH (hormona folículo-estimulante) e/ou a LH (hormona luteinizante) durante cerca de 8 a 14 dias.

São estas hormonas, que são administradas através de canetas especiais em injeções subcutâneas, que vão estimular o crescimento dos folículos ováricos. Durante desta fase serão realizadas ecografias para acompanhar o desenvolvimento dos folículos e ajustar a dosagem da medicação, se necessário. O objetivo é recolher um número suficiente de óvulos de boa qualidade para aumentar as hipóteses de uma fertilização bem sucedida. Poderá sentir alguns efeitos secundários durante a toma desta medicação, como inchaço, alterações de humor ou desconforto nos locais de injeção, mas estes são normalmente temporários e controláveis.

Punção Folicular

Este procedimento, realizado por um médico com experiência em Procriação Medicamente Assistida, sob orientação ecográfica e sedação, demora cerca de 15 a 20 minutos. Os óvulos extraídos serão colocados num meio de cultura especializado, para utilização posterior, consoante o plano terapêutico definido.

Processamento do Esperma

A amostra de esperma congelado do dador é processada laboratorialmente, de modo a selecionar e isolar os espermatozóides mais viáveis. Nos ciclos de FIV clássica, os óvulos são colocados numa placa juntamente com 100 mil espermatozóides com mobilidade progressiva rápida, para que possa ocorrer a fertilização.

Em alternativa, as nossas embriologistas podem optar por recorrer a uma técnica conhecida como Microinjeção Intracitoplasmática de Espermatozóide (ICSI). Com a ICSI, cada óvulo maduro é injetado diretamente com um espermatozoide cuidadosamente selecionado, sendo este um método mais eficiente

Cultura Embrionária

Após a fertilização, os embriões formados são colocados numa incubadora especial, o Embryoscope®, onde permanecem em condições ideais de cultura até à formação do blastocisto, o que normalmente ocorre entre o 5º e o 6º dia de desenvolvimento. Esta tecnologia permite a observação e avaliação ininterrupta do crescimento dos embriões, sem que estes sejam expostos a variações de parâmetros ambientais como a temperatura ou o pH.

Na Procriar utilizamos o Embryoscope® para todos os tratamentos, beneficiando da sua capacidade de monitorização contínua e estabilidade. Mais recentemente, começámos a utilizar algoritmos avançados de inteligência artificial como forma de identificar os embriões com maior probabilidade de implantação no útero. 

Nos casos em que, por razões clínicas, é necessário criopreservar todos os embriões disponíveis (os chamados ciclos de “freeze all”), os nossos embriologistas fazem a cultura embrionária até ao estado de blastocisto, vitrificando os embriões quando estes atingem o estado de desenvolvimento ideal e apresentam um prognóstico favorável – na Procriar só criopreservamos embriões de bom prognóstico, nos quais acreditemos verdadeiramente. 

Transferência de Embriões

A transferência embrionária poderá ser de, no máximo, dois embriões, mas habitualmente recomendamos a transferência de apenas um embrião, dados os riscos, para a futura mãe e para os bebés, associados à gravidez gemelar.

Os embriões viáveis excedentários, isto é, que não sejam usados no tratamento a fresco, serão criopreservados para utilização futura.

Após a transferência de embriões, deverá aguardar 12 dias para efetuar um teste de gravidez.

Podemos ajudar

Se assim o desejar, um dos nossos gestores de pacientes especializados pode ligar-lhe, de forma gratuita e sem compromisso, para lhe explicar de que forma é que a poderemos ajudar.